segunda-feira, 2 de agosto de 2010

No stress

Ontem assisti ao programa de minha formiguinha favorita, Marco Luque. Um dos quadros contou com a participação da simpatia da Wanessa Camargo, onde eles detonavam com tudo o que estressava aquela doce menina que, até onde eu agüentei assistir, era quebrar pratos e despertadores, das maneiras mais divertidas. Foi hilário vê-la insistir que aquele ato era contra o lance do sustentável e coisa e tal, para depois ter orgasmos múltiplos se descabelando quebrando pratos. Aff... me engana, nêga.

Não sou de quebrar coisas, a não ser promessas, mas, é claro, que isso me fez pensar o que me faz desestressar. As soluções não são muitas.

Em primeiríssimo lugar ficou o plástico-bolha. Que delícia. Gostaria de andar com metros e metros dele. Ou então viver aquela cena do filme “A loja mágica de brinquedos”, onde os dois pulam em enormes plásticos-bolha. Ir a uma loja de colchões e pular como criança.

Nem vou citar o delicioso happy hour sagrado de sexta-feira. Quando o estresse é demais a gente adianta para quarta. Mas beber no meio da semana é foda, porque você vê que só se passaram dois dias, ainda faltam dois, e a sexta-feira corre de você.

Caminhar ou andar de bike me ajuda muito a me desemputecer com a vida. Principalmente por nos fazer acreditar que estamos esbeltas em apenas uma hora de suor e vento na cara.

Calça jeans dançando no corpo também proporciona uma paz de espírito, que invejaria até Madre Tereza de Calcutá.

Por mais inacreditável que pareça, lavar louça ou quintal me acalma. A MINHA louça e o MEU quintal, que isso fique bem claro. Cada qual com sua loucura, meu bem.

Não vou negar que comprar me dá uma felicidade momentânea, principalmente badulaques e bijus, mas não é o método mais eficiente, pois logo chega um código de barra pesado pra me estressar de novo.

Orgasmos múltiplos me deixa tão mansinha...

Cafunés e massagens surtem efeitos milagrosos e a humanidade fica tranqüila por um tempo, mesmo em épocas de TPM.

Mas se, por uma lástima do destino, nenhuma dessas soluções for possível, o jeito é encarar um belo e calórico pote de sorvete mesmo, senão a bala come e a coisa fica pequena!

Balzaks

Um comentário:

Shisuii disse...

Pow, orgásmos múltiplos deixam qualquer ser vivo e não-vivo mais calmo!

aushaushaushausas

Eu quero sorvete!!! Minhas costas doem de tanto estresse!


Shisuii