sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Nem te conto

Todos nós sabemos que em rodinha de amigos não sai muita coisa que preste. Ainda mais com umas biritas na cabeça. E como todos da raça, a conversa tende para o assunto mais óbvio: sexo!

Eu participo de várias turminhas: mulheres balzaks, meninos e meninas 2.0, tiozinhos do rock, ratinhos de coxias, botequeiros profissionais, e não vejo muitas diferenças quando o assunto é um chamego mais de perto.

As comprometidas, é claro, falam só de seus respectivos cuecas e o papo se baseia nas lingeries, cremes, bolinhas e óleos que ELAS usaram ou pretendem usar. Fora raras exceções, sentem-se carentes após, durante e depois do coito.

As libertárias, como eu, diversificamos o papo e às vezes os parceiros, mesmo porque estamos experimentando o que o mercado tem a nos oferecer para, quem sabe, pensar em algo mais sério. É claro que comentamos detalhes picantes da relação com as amigas confiáveis, seja a transa boa ou ruim.

Quando estamos em amigas e o cueca-experimentada passa, os olhares já se cruzam dizendo “É aquele que ela falou que é bom de pegada!”. Sei de muitas que fizeram muito marketing e perdeu para alguma fura-olho da turma, mas entre amigas de verdade é muito divertido e saudável, contanto que não exponha o parceiro e não torne um lance gostoso em uma fofoquinha de carolas.

Os homens também falam de sexo entre amigos. Só que nunca das suas namoradas, claro. Seu instinto não permite estimular o instinto dos outros machos de seu bando. Mas de outras garotas eles detonam de comentar cada detalhe, tantos bons quanto ruins.

Isso tudo é muito detestável quando a protagonista do assunto é você, independente se rola elogios ou críticas. Creio que esse hábito entre amigos, embora pareça natural, só agrada quem fala e alguns ouvintes.

Eu costumo respeitar meus parceiros e penso que quando se fala, o lance sai da cabeça e quero conservar meus bons momentos dentro de minha cabecinha, bem guardados. Mesmo porque, ultimamente, têm sido tão poucos momentos que uso as lembranças para não esquecer como se faz.

Mas, por favor, meninas e meninos, não se vinguem de suas frustrações amorosas com conversinhas nojentas sobre seus parceiros. Afinal, como fulaninho de repente ficou tão ruim de cama, sendo que antes te faziam virar os olhinhos e suspirar o dia todo. Que coisa é essa de pensarem que ser ruim COM VOCÊ na cama é motivo de suicídio do ser ‘falado’? Será que o ruim para você não é quando o coito acaba, por não saber como lidar com isso? O problema pode não ser genitário ou dermatológico e sim bucal. E quando isso rola não há listerine que resolva, meu bem. Portanto, coma de boca fechada.
Balzaks

2 comentários:

Shisuii disse...

Gostei do layout novo..

^^

Shisuii

Rony Furtado disse...

Nossa.. excelente post... adorei seu blog e ja estou seguindo.. amanha com mais tempo eu leio suas postagens mais antigas e se puder visite meu blog tbm...
ate mais.. ;D