terça-feira, 17 de março de 2009

OS QUERERES

Eu queria não ver crianças pedindo esmola na rua, mas, acima de tudo, eu queria que as mães destas crianças usassem camisinha.
Eu queria que nenhum cachorro, gato, papagaio, leão de circo, ou qualquer outro animal fosse maltratado.
Eu queria ter tempo pra ver as borboletas que passam pela janela do meu quarto, que quase sempre fica fechada.
Eu queria que todo brasileiro lesse pelo menos uns 10 livros por ano.
Eu queria fazer um clube do livro com meus amigos, pra poder discutir e trocar idéias sobre mais de 10 livros por anos que a gente lesse (já tentei, nunca deu certo).
Eu queria que as minhas roupas caíssem tão bem em mim quanto caem meus sapatos.
Eu queria que todo mundo entendesse que reciclar o lixo e economizar água não é uma moda, mas sim uma necessidade.
Eu queria que meus futuros filhos tivessem orgulho de mim.
Eu queria comer bala de goma todos os dias, sem pensar em calorias ou numa futura diabetes.
Eu queria ensinar a alguém o pouco que aprendi.
Eu queria que o final de semana tivesse uns quatro dias pelo menos.
Eu queria que meu time ganhasse todos os campeonatos, mas, sobretudo, eu queria que nenhum torcedor do meu time ou de outro morresse ou se ferisse por causa disso.
Eu queria ser uma mosquinha pra escutar o que os outros falam de mim.
Eu queria afastar pensamentos ruins na hora de dormir.
Eu queria que nenhuma atendente de telemarketing me ligasse quando estou em casa à toa, e principalmente, que não me ligasse quando estou ocupada ou tomando banho.
Eu queria que o dinheiro fosse para todos um sinônimo de prazer e nunca de guerra ou corrupção.
Eu queria ter somente o dinheiro que necessito, com direito a algumas futilidades.
Eu queria que ninguém tivesse que chegar ao extremo de praticar um aborto.
Eu queria que minha mãe nunca morresse.
Eu queria que um cara maravilhoso dissesse que realmente gosta de mim.
Eu queria ser esperta o suficiente pra reconhecer esse cara.
Eu queria poder viajar pro lugar que me desse na cabeça e poder voltar pra casa quando eu quisesse.
Eu queria que o voto no Brasil não fosse obrigatório.
Eu queria que só fossem pais e mães aqueles que realmente tenham capacidade pra isso.
Eu queria que meu cabelo fosse bom todos os dias.
Eu queria poder encontrar minha avó, que já não está mais aqui, pelo menos mais uma vez e sentir seu cheiro de café com forno à lenha.
Enfim, eu queria que querer fosse poder.

Angels

4 comentários:

apolotilgerbarbosa disse...

Angel!!!
Assino com você todos os quereres, principalmente o primeiro!!!!

André disse...

Eu até senti vontade de me sentar a beira do fogão a lenha pra tomar café com tua vó.
Muito bom o texto.

Junior Gros disse...

Compartilho de muitos destes quereres, principalmente [pasme] nos que se referem a livros...

Junior Gros disse...

Oi!
Compartilho de muitos destes quereres, sobretudo os que se referem a livros...