quinta-feira, 24 de junho de 2010

Dia de São João


Todos sabem que não sou muito ligada nesses lances de santos, mas São João é um cara que até me cativa.

É o santo conhecido como festeiro, por isso as grandes festas em seu nome, com muita dança, comilança, fogueira e o tradicional levantamento do mastro de São João.
Coitado, perdeu a cabeça por causa de uma mulher. No mau sentido mesmo, pois a vaca da Salomé, por puro capricho, fez beicinho, pôs o dedinho na boca e pediu a cabeça do cara numa bandeja. Melindrosa essa garota. Podia ter pedido um daqueles escravos sarados que passam nos filmes de sessão da tarde em dias santos. Bobinha.

Sei que muitos vão querer me atirar bombinhas, mas... Como seria São João, não tão santo assim, nos atuais dias???

Primeiro que já adotaria o nome de Johnny, acharia mais moderninho. Por ser o primo do JC seria mais um playboy na fita.
Como é muito chegado a festas e um cara moderninho, iria promover grandes raves. E, com a fama de ser um cara meio tímido, teria que tomar uns docinhos para descontrair.

Se analisarmos a música feita em sua homenagem, podemos captar, mesmo sutilmente, o teor de suas festas:

Sonho de Papel
Autor: Alberto Ribeiro

O balão vai subindo – Festa rave é cheia dos balõezinhos fluorescentes, mas muitas outras coisas vão subindo em Johnny.

Vem caindo a garoa – na verdade essa garoa foi um erro de digitação, era pra ser GAROTA, um erro muito comum, pois a letra foi escrita em papiros, não dava pra lascar um CTRL Z.

O céu é tão lindo/ E a noite é tão boa – É claro, que a festa tava rolando numa chácara.

São João, São João/ Acende a fogueira/ No meu coração – Agora a coisa começou a esquentar na festa e a garota já tá doidinha.

Sonho de papel/ A girar na escuridão – Essa é pra turminha nóinha que apareceu na festa.

Soltei em seu louvor/ No sonho multicor - \o/ Tá batendo!!!

Oh! Meu São João – Isso é Johnny falando com seu bilau.

Meu balão azul – Ele começou a ver que o balão tá caindo e já começa em pensar em outro remedinho, o azul.

Foi subindo devagar – Jisuis, Johnny está tenso...

O vento que soprou – Alguns chamam de ‘brisa’, efeito de docinhos.

Meu sonho carregou – É mina, o balão caiu.

Nem vai mais voltar – Xiii... o azulzinho não resolveu.

Moral da estória: Eu sempre falei que festa rave é uma merda. E ficar se entupindo de drogas broxa qualquer um. O mastro de Johnny não sobe, acabando com a festa das garotinhas. Se era pra chapar e continuar comedor, que tomasse Ecstasy então.

Tsc Tsc Tsc...
E... Johnny... Sempre perdendo a cabeça.

Balzaks

2 comentários:

Zingara disse...

Ô texto bem-humorado.

Adoro São João, não do Santo, mas das comidas de milho. E só.

Shisuii disse...

Ri litros

^___^

Shisuii