quarta-feira, 3 de junho de 2009

Pequenas estórias de Little Gold

Era uma vez uma cidade chamada Little Gold, lá nos confins da divisa com o Paraná, com muitas pessoas simpáticas e felizes.
Essa felicidade toda vinha à tona às vésperas e durante a mais tradicional festa de toda a região: a PAFI!!
Parem a city, apertem os cintos e lustrem suas frigideiras fivelas, pois ela está chegando! Majestosamente, em seu casaco com estampas leiteiras, suas botas com esporas e seu cheiro de churros, modificando os corações.
Olhos brilhantes de empresários e comerciantes – de bem longe de Little Gold – e olhos lacrimejantes nos dessa terrinha contemplada com a festa mais esperada do ano.
Nem final de Copa do Mundo modifica tanto a rotina de todos. Horários, itinerários, aprendizados e encontros amorosos são reduzidos, para que todos possam prestigiar a grande festa interiorana.
Mas então – vocês me perguntam -, o que tem de tão especial nessa festa para enfeitiçar a todos?
Muita comida, bebida, artistas, roupas e acessórios mil, tudo muito mais caro que você pagaria em qualquer outro lugar e de qualidade muito da duvidosa. É tudo muito e para todos.
Pais de famílias entregam suas economias para arriscar a vida de seus rebentos em um sucateado parque, que já matou ou machucou muitos, mas é só trocar de nome que o povo esquece rapidinho.
Moçoilas e moçoilos afoitos com a possibilidade de se encontrarem na escadaria do parque e assistirem abraçadinhos os magníficos shows.
E a cerveja??? Tem sim, senhor, mas não tem variedade não. Aliás, você é obrigado a pagar caro para beber aquele mijo de gato. A promoção da festa é a seguinte: Beba uma Tryscal e ouça gratuitamente o show do Capital Inicial, Vitor e Léo e outros Fulanos e Sicranos que a mãe deles deveriam ter jogado fora e ter criado a cegonha.
Tem umas coisas boas sim, claro. É muito policiado, de cavalos, motos e camelos, todos lindos. Já a segurança o restante da cidade que se foda, estamos em festa!
E os peões? São lindos! Quando dão aquela ‘pegada’ apertada perto das virilhas, fazem suas vítimas uivarem e tremerem, ‘chocadas’. Cada cavalgada, ui!
Pena que, com algumas exceções, suas vítimas são os coitados dos bois e cavalos. Cuidado! Quem protestar, ganha porrada e algemas.
Minha angelical amiga de blog mesmo adora os peões e suas pegadas.

Mas, sorriam e cantem uma linda canção. Em apenas 10 DIAS, tudo isso acaba e todos podemos voltar à nossa rotina, mais felizes, porém, muito mais pobres. Aff.
Vamos combinar uma coisa: Não me procure na escadaria do parque?

Balzaks

2 comentários:

Shisuii disse...

ashaushaushausa....

Sintético!

ashaushaus

CIEL MELODIQUE disse...

Mimimi...

Achei o famoso blog....

Meooo....eu recomendo a Festinha de Little
Gold, servida com duas garrafas de Orloff...kkk...num sabia nem onde eu tava!

Massa esses escritos aki!

Abraço.