quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Vovó Balzak

Em 2038...

Hoje, no final da tarde, vejo olhinhos alegres e cabelos lisos cambaleando para a minha confortável cadeira de vovó bege-esquecido, na varanda de minha casa, às margens do Rio Paranapanema.

Trata-se de Ingrid Cristina, filha de minha filha Luana.

É, ela sempre tendeu para um lado meio breguinha mesmo. Eu sabia que bom nome de neta não viria. Pelo menos engravidou após os 25 anos. Sempre soube que seria avó antes do que desejaria, mesmo que ela estivesse na terceira idade.

Enfim...

Grid, como costumei chamá-la para recordar os velho tempos da informática, chegou empuleirando-se em meu colo, pedindo que a balançasse e que lhe contasse uma história. Foi então que lembrei-me de uma dos anos frescos de minha existência...

Vovó Balzak: - Era 2010. Numa manhã fresca de primavera... Eu ainda caminhava sem ajuda... Na época eu caminhava para tentar recuperar o corpo consumido pela cerveja e da costela recheada do fim de semana...

Grid: - Vovó, o que é cerveja? C-o-s-t-e-l-a?

Vovó Balzak: - Ow, minha menina, cerveja era uma bebida que tua avó apreciava muito, principalmente às sextas-feiras. Hoje em dia, não se fabrica mais. Os jovens acham o álcool uma coisa muito fora de moda, num dá mais o barato de antigamente. E costela era carne, com uma gordura deliciosa. Hoje a Organização Mundial da Saúde proibiu. Mas já fez a alegria e levou à morte muita gente... Ai, bons tempos aquele...

Grid, com cara de não entendi: Ah...

Vovó Balzak: - Mas então, eu caminhava a caminho do trabalho, na época ainda existiam os chamados ‘funcionários públicos concursados’, e ao atravessar um cruzamento, perto de uma das travessias de trens (Ah, Grid, procure no dicionário!), uma caminhonete Hilux converge da pista errada e sem acionar a seta, e me acerta de lado, jogando-me para a calçada. Me deu uma raiva danada. Tirei os fones de ouvido do meu MP4...

Grid: Hilux... que coisa brega...MP4? kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Tava no 4 ainda???

Vovó Balzak: - É, eu tive um, sim! E para seu governo, eu ouvia Mutantes ainda, que eu baixava procurando no Google. Eu AINDA carregava-o através de um fio ligado na rede de energia elétrica! Que saco, posso contar?

Grid: Tá. E o que o cara que te atropelou fez?

Vovó Balzak: - O desgraçado até que parou o carro, mas fiquei tão irada (aff.. eu e minhas gírias coroas) que comecei a gritar se o cu dele piscava tanto que não precisava usar as setas do carro... E botei meus fones na orelha de novo e saí pisando duro, toda cheia de poses de “Não é nem 7 da matina e já to puta!”...

Grid, com olhinhos de Sandy: - Vó, o que é puta?

Vovó Balzak: - Inferno de censura que tesourou o lobo mau... “

Aff, detesto nostalgia...

Balzaks

Um comentário:

Shisuii disse...

Me mate antes de chegarmos a um futuro sem costela assada e pimenta.

(Se bem que 2012 taí, eu acho que não deveriamos nos preocupar... enfim...)

Shisuii