terça-feira, 18 de maio de 2010

Coisas idiotas

AS COISAS IDIOTAS QUE EU FAÇO


Versão Angel:

Às vezes, dou “boa-noite” pro William Bonner (pra Fátima não dou, ela é muito esnobe)
Faço a dancinha da vitória quando ganho no golf do Nintendo Wii de uma garota de 09 anos, e ainda a provoco dizendo que “pra jogar golf tem que ter estilo” (isso porque nunca pisei num campo de golfe de verdade)
Falo com meu carro com voz de retardada quando ele volta do lava-rápido como se ele fosse um cachorrinho voltando do pet shop.
Quando ninguém tá olhando, depois de tomar café passo o dedo no fundo da xícara pra lamber o “açuquinha” que fica grudado no fundo, que é a melhor parte do café.
Olho discretamente para garotos de 16 anos andando com uniformes de escola na rua e penso “daqui a uns anos... hummm”
Quando estou ociosa, toco na mesa a única música que aprendi no piano quando eu tinha 8 anos (é um “air guittar” mais pra “table piano”).
Chamo meu cachorro de “príncipe” e “tesouro” só porque ele se chama Kiko (e pasmem, ele não virou viado ainda)
Dou apelidos pra todo mundo e sinto um prazer mórbido quando eles pegam.
Cito frases do “Chaves” como se fossem verdades universais.
Faço auto-cafuné na minha cabeça quando estou pra baixo.

Sim, torço pro Corinthians.

Angel

Versão Balzaks:

Ta, eu também sou muito idiota e isso não é um grande segredo, embora ainda não saia isso numa pesquisa do Google.
Por que? Oras...
Eu morro de rir, até sozinha, das piadas mais infames e cretinas.
Eu não assisto novelas, mas leio os resumos apenas para contar as mentiras mais bizarras pra quem assiste – há pessoas tão idiotas quanto eu, pois acreditam.
Compro filmes piratas de vendedores que juram que não foram gravados em cinema.
A história de lamber o açúcar do fundo da xícara de café aí de cima eu achei nojento, mas eu lambo caixinha de creme de leite.
Quanto ao ‘Chaves’, eu costumo fazer aqueles chutinhos dele quando estou irritada.
Acredito que nada dará certo se eu não disser as palavras mágicas : “Tchuin-tchuin-tchunclain!”, daquele episódio do Chaves.
Eu canto musiquinhas de espera ao telefone antes de chamar alguém pra atender.
Eu pulo frestas de calçadas.
Não posso ver uma amarelinha pintada no chão.
Eu finjo que não entendo as piadas só pra me explicarem ela.
Eu sempre engulo chicletes – não contem aos meus filhos!!!
Eu mantendo roupas do século passado em meu armário, mesmo sabendo que nunca mais vai me servir ou eu teria coragem de usar.
Eu estrago o esmalte TODAS as vezes que saio da manicure.
Ainda sonho em conhecer alguém como o Kevin da série ‘Anos Incríveis”
Eu saio dando pulinhos e ensaiando dancinhas ao sair do trampo na sexta-feira.
Cada vez que leio a palavra ‘Pare’ em algum documento oficial do meu trampo, eu imito a Vanderléia. Ou canto a música da Stephanie do cross fox quando alguém diz que não tira alguma música da cabeça.
Eu canto a musiquinha do “Yin Yang You” (desenho da TV Globinho) cada vez que ganho alguma parada.
Sempre acho vai dar tempo de ir embora quando está formando aquela tempestade.
Por fim, sempre acho que alguém vai achar graça nos textos que escrevo.

Ah... Não! Eu não sou corinthiana. Ainda tenho salvação.
Balzaks

2 comentários:

Shisuii disse...

Ora, essa não era a melhor parte??

Shisuii

xexedir disse...

O ser humano não é um animalzinho adorável? Ao mesmo tempo em que faz fantásticas, tecnologias mil, etc, consegue realizar essas pequenas atividades non-sense e achar algo completamente razoável.