sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Ahhh, que é isso? Elas estão descontroladas!!!

Isso é uma letra de um funk podre? Sim, mas também é uma frase recorrente, que nós, seres balzaks superiores, andamos ouvindo recentemente.
Não sei por que cargas d’água, mas tem muita gente achando que a gente pirou o cabeção ultimamente. Por que, meu Deus, por que???? Juro que não sei...
Eu acho que a gente deve ter sido boazinha demais nas “encadernações” anteriores e a galera tá achando que nossa sina é ser saco de pancadas, e pior, receber a pancadaria verbal com um singelo sorriso de aeromoça nos lábios.
Não sei se estamos certas, mas nossas mães nos ensinaram a ser bem educadinhas, mas jamais sermos tontas! Ou seja, se alguém nos trata com deselegância, desprezo, falta de educação, ironia, ou qualquer atitude maldosa, o mínimo que devemos fazer é contra-atacar, certo? Daí que vem a merda do título de DESCONTROLADA!
E o que mata é que essa gente que diz isso acaba por nos fazer pensar: “será que eu não to doida mesmo?”. Não se engane, cara balzaquiana. Você não está doida. Tampouco descontrolada.
Eu sempre detestei o famigerado pedido de desculpas. Sempre achei que depois que inventaram as desculpas, o mundo ficou muito fácil e as bocas conservaram os dentes. Que encerrar uma discussão se desculpando era o cúmulo do irritante. Mas não é: mais irritante que isso é ouvir: “você tá descontrolada!”. Que merda!!!! Não estamos loucas!!! Estamos só falando a verdade, querendo explicações, respostas, exigindo um mínimo de respaldo pra não parecer que estamos conversando com uma atendente de telemarketing, porra!!!
Parece difícil conversar com alguém como nós? Juro que não é. É só usar do mínimo de clareza, boa educação e bom-senso que nós responderemos à altura. E prometemos ser muito boazinhas.
Imagine um leãozinho, lá nas savanas africanas. Ele não está com fome, não está com sede, tá tudo bem com ele. Se você observá-lo com cautela, o que ele vai fazer? Nada, vai continuar andando calmamente pelo seu habitat. Agora imagine esse mesmo leãozinho acuado por uma tropa de caçadores, e imagine você, caçador, cutucando esse pobre leãozinho. O que vai acontecer? Você sabe, né? E a culpa é do leãozinho que se descontrolou? Não!!! A culpa é sua, caçador!!!
Agora imagine que nós somos o leãozinho. Trate-nos como o leãozinho. Sejam simpáticos com o leãozinho. Não façam movimentos bruscos, não falem coisas irritantes, não deixem o leãozinho sem saber o que vai acontecer.
Já ouviu aquela velha frase do “quem fala o que quer, escuta o que não quer”? Pois é, mas parece que nós, balzaks, não temos o direito de fazer esse povo escutar o que não quer. È muito fácil apelar pro “tadinha, ela tá doida” e sair como superiores na fita. NÂO!!!! Quem tem razão somos nós, exigimos o direito de sermos tratadas com sinceridade, porém com polidez (palavra antiga, mas muito da bonita, viu?).
Só para constar, não sei se as pessoas sabem, mas não é nada educado chamar a gente de gorda, fazer ironias inúteis, dar lição de moral, não retornar ligações, não oferecer respostas satisfatórias, faltar com a verdade, explorar os nossos sentimentos e a nossa boa-vontade de trabalhar, criticar o nosso jeito de ser, e tantas outras coisas que a gente evita ao máximo fazer, mas que tem gente que faz, e como faz, descaradamente.
É realmente muito fácil falar tudo o que vem à cabeça sem passar pelo filtro da “boa vizinhança” e depois esperar que o desenrolar do papo seja em um nível iluminado, com vozes afinadas fazendo coral ao fundo. Manocú!. Saímos da casinha mesmo, rodamos a baiana ou, pelo menos, soltamos uma dúzia e meia de palavras do mais baixo calão. Às vezes tudo isso, se fodendo para a seqüência. E depois saem falando que a gente é descontrolada. Além de poder vomitar um monte de bobagem, essas pessoinhas ainda se fazem de fodonas, porque eles, sim, são totalmente controlados!!! Doidas somos nós, ao certo... ai, ai, viu?

Só tem uma coisa que nos deixa realmente descontroladas – é ouvir que estamos descontroladas. Isso. Jamais!!!

(Para dizer que nós somos calminhas, para nos receitar um Lexotan, ou para fingir que leram esse texto enorme – comentem aí, PORRA!)


Angels e Balzaks

2 comentários:

Shisuii disse...

Adorável, mas usar um leão de exemplo... dependendo da situação pode ser fatal...

Ah, que isso? Elas estão DESCABELADAS!

Abrazz. Sdds

Shisuii

xexedir disse...

Eu acho que a balzaquiana estava um tanto descontrolada quando escreveu esse texto. Onde já se viu tamanho ódio sem ninguém aparentemente tê-la cutucado? Sei não, tenho uma opinião quanto a isso...falta....