sexta-feira, 17 de julho de 2009

É o Rei

Depois da avalanche de “Michael Jackson”, a qual fomos forçosamente submetidos nos últimos dias, surge uma nova avalanche, agora por um motivo mais alegre: a avalanche de Roberto Carlos, por ocasião dos seus 50 anos de carreira.
Eu gosto do Roberto Carlos, mas não posso ser considerada uma fã. Na verdade, sempre simpatizei muito mais com o Erasmo, o que me faz parecer bizarra pra muitos amigos, mas minha admiração pelo Tremendão é papo pra outro post.
Mas admiro um cara que consegue ter 50 anos de carreira e continuar famoso do mesmo jeito. Pô, 50 anos é tempo pra baralho!!! Será que ele não cansa de ganhar dinheiro? E o que eu acho mais admirável é ele conseguir manter sua carreira intocável mesmo sendo feioso, perneta, baixinho, raquítico, com aquele cabelo inominável, usando terno cafona azul-calcinha de ombreira, com voz fanhosa, com transtornos psiquiátricos graves e cantando basicamente as mesmas músicas que falam sobre o mesmo assunto durante meio século!
Calma, eu sei que peguei pesado. Não to criticando o Robertão não. Acho o máximo alguém com esse monte de “particularidades”, juntar tudo isso numa pessoa só e dar certo! Deu certo! O cara virou rei!
Também pudera, o cara encheu a bola dos ouvintes de todo tipo: gordinhas, coroas, adúlteras... Foi o único que não cantou apenas ao corno.
Eu o acho simpático. Sempre sorrindo, sempre sereno, parece um cara bacana, porém distante. Não parece ser aquele cara que servia pra ser nosso“tiozinho” ou “pai da melhor amiga”. Coisa de Rei.
Só acho chato em toda essa comemoração dos 50 anos os entrevistados fazerem as mesmas perguntas pra ele, as celebridades quererem aparecer dizendo que ele mudou a vida delas, e principalmente a Bobo achar que comprou sua escritura e monopolizar a comemoração como se ele fosse um personagem e não uma pessoa de verdade. Apesar de ser uma caricatura de pessoa.
Mas suas músicas já deixaram muitas moçoilas e moçoilas de olhos marejados. Meu pai mesmo, que não valia uma pinga quente, achava que seus “Detalhes” tão pequenos nunca seriam esquecidos. Até já me perdi “Nas curvas da estrada de Santos” à procura de um lugarzinho quente “Debaixo dos caracóis de seus cabelos” e em outros fundos musicais de meu romance. Já chorei horrores com o tradicional coral infantil entoando "Como é grande o meu amor por você", em apresentações escolares no dia das mães.
Imagino o que o Roberto está sentindo. Além das “tantas emoções, bicho”, já tão batidas, ele deve estar com um medo de morrer daqueles. Faça as contas: se ele tem 50 anos só de carreira, já tá mais do que no bico do corvo. E isso pra quem tem transtorno obsessivo-compulsivo e já ter enterrado algumas esposas deve ser uma pressão daquelas!
E olha que ele já deu uns toques de seu paradeiro ao nosso brother Jesus. Até Nossa Senhora já foi avisada. É só vir buscar.
Dá a mãozinha a ele e leva!

Angels e Balzaks

Um comentário:

Shisuii disse...

E eu já acho que ele pensa que é imortal, desafiando os céus com aquela música:

-Jesus Cristo, jesus Cristo, Jesus Cristo, eu estou aqui!

Brincadeiras a parte, pena que a globo satura a gente com as coisas, porque eu realmente não suporto mais o RC, mesmo sendo rei...