segunda-feira, 18 de maio de 2009

Nana nenem, que eu vou te pegar

Clique aqui e assista ao vídeo

Hoje é dia de tema polêmico, mas muito sério no Papo Balzaquiano. Hoje é o Dia do Combate à Violência e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Devemos comemorar isso? Sei lá, mas acredito que devemos falar, refletir e botar pra quebrar mesmo sobre o assunto.
“Ai, credo, Deus me livre ficar falando dessas coisas! Ainda mais perto das crianças!”
Vai se foder se você pensa algo assim e sai do nosso blog. Na hora de achar uma belezinha o teu filho ou filha dançando na boquinha da garrafa ou mesmo se requebrando num bunda lelê ele pode saber sobre sexo - da pior e mais vulgar forma possível – mas quando ele deve conhecer o assunto para se defender ele vira bebê novamente. Eu considero não só necessário como primordial que role esse papo entre pais e filhos, professores e alunos, ou seja, adultos com crianças, de forma clara, concisa, sincera e com muitos – isso mesmo! – muitos detalhes e exemplos.
O grupo de teatro Soarte de Ourinhos (SP) mostra muito bem essa ideia em sua nova montagem “Isso pode, isso não pode” - olha o marketing! -, que de maneira lúdica ensina a criança identificar precocemente o abuso e a se proteger. Em sempre tive essa conversa com meus filhos e sei muito bem como dar exemplos, ainda mais porque já senti na pele tudo isso e tive que guardar isso por muito tempo, com consequências terríveis na minha vida sexual, por não conseguir confiar em ninguém da minha família para contar. Os seres que abusam de uma criança são tão tinhosos que nos convencem que nós temos culpa de tê-los ‘provocado’ e que nossos pais nunca acreditarão na gente. Então, sofremos e ficamos quietos temendo outros sofrimentos e repressões.
Conheço uma garotinha de 9 anos que não se deixa abusar. Numa situação um pivete miniatura de marginal encheu a mão na bunda dela. O que ela fez? Mete bronca e porrada mesmo e teve como conseqüência uma visita à diretoria da escola, repressão e falta de credibilidade dos seus adultos confiáveis, menos dos pais. Atitude totalmente condenável! Pode não ser pedagógico, mas eu a apoiei inteiramente. Nessa hora não existe essa de violência traz violência. Na hora de colocar esses barulhos horrendos que vocês chamam de música, fazendo apologia ao sexo animal e machista, em festinhas infantis, vocês ‘educadores’ não acham que estão cometendo e incentivando à violência? Se alguém se meter com meu corpo, sem permissão, ou de meus pimpolhos, eu entro na porrada mesmo, mesmo que responda séculos de processos. E os pais desse moleque também entram na porrada, pois os considero os maiores responsáveis por essa animalidade, este machismo infantil. Eles também devem achar um xuxu o moleque indo e metendo a mão onde não deve. E não gostam nada quando seus machinhos voltam pra casa com o nariz arrebentado. Ainda mais por uma menina! Amei!! Essa garota é das minhas.
Resumindo: se você deve permitir o contato de seus filhos com o sexo, mas de uma maneira que eles entendam do que se trata e no momento certo. E quebre essa porra desse cd do Latino e Cia.!

Balzaks

Um comentário:

Shisuii disse...

Assino embaixo.

É ou não uma guerra.

Pena que as pessoas prefiram, fechar seus olhos...

Shisuii