quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Cuecas-Mara

Aproveitando a fase apaixonada da minha querida companheira de blog Balzaks, quero voltar à ativa falando sobre um assunto raro, mas delicioso: os homens que prestam! Sim, porque falar mal de homem com certeza é nossa especialidade, até porque são eles mesmos que dão corda para nós enforcá-los, não é mesmo?
Mas, queridas amigas balzaquianas ou não, os homens que prestam existem! São raríssimos, dificílimos de encontrar, mas sim, eles existem!
E o pior é que não há regras para identificar um homem que presta, ou melhor dizendo, um cueca-mara! Eles estão por aí, facilmente confundidos com os cuecas-borradas, os cuecas-cafajestes, os cuecas-chatos, os cuecas-que-somem e tantos outros espécimes comuns desta vasta fauna que vagueia pelas noites a enganar mocinhas incautas.
Os cuecas-mara só demonstram a que vieram depois de muita conversa, de uns golinhos de bebida compartilhados e muitas ligações pra provar que, realmente, estavam com saudade de você, não da sua bunda.
E nada de cair no conto do príncipe encantado! Os homens que prestam não têm nada de príncipes, uns podem ser até meio feinhos, outros podem ser meio fodidos de grana, há os que são nerds por natureza, os que moram muito longe, os abstêmios, os bagunceiros, os enrolados...
Ora, para você ter uma ideia, existem até cuecas-mara são-paulinos! Todo mundo tem um defeitinho... Portanto, é claro que o homem que presta também tem os seus. Vai de você, cara colega, saber identificar o espécime raro no meio da multidão de cuecas supostamente perfeitos que nada têm a te acrescentar.
E é aí que mora a grande dificuldade: a gente deixa passar ótimas oportunidades por se ater a detalhes, picuinhas e convenções sociais.
Mas, Balzaquianas, o que tem de mara nesse cueca?
Ah, meu bem, a identificação de seus preciosos atributos requer olhos e óculos clínicos.
Não são só as borboletas na sua barriga que deixam claro que o bofe é mara, apesar delas serem extremamente necessárias, senão necas. É preciso que o cara te deixe segura, a ponto de ser a primeira pessoa que você pensa em ligar quando está com medo de algo. Aquele que considera cuti cuti aquele detalhe de sua personalidade que você considerava bobo e infantil.
É aquele cueca cujo caráter influencia o seu, conquistando sua vontade em se tornar uma pessoa melhor. É o cara que cresce na vida e faz você criar perninhas para acompanhá-lo. É o cara que, mesmo longe, te aquece e umedece.
Portanto, garota, quando encontrar o legítimo cueca-mara, aquele que olha nos seus olhos e, sem dizer nada, deixa claro que daqui pra frente você é completamente dele... seja!!!

Angels e Balzaks

2 comentários:

apolo disse...

Angels,
Não poderia de deixar de comentar esse OTIMO post de voces!!!
Modestia a parte (porque não é meu forte mesmo) me considero um cueca-mara, na linguagem de voces.
Não sou um principe encantado, to fodido de grana, mas eu presto e to solteiro.
Alias, se tiverem alguma amiga disponivel entrem em contato(hahaha) comigo e busquem referência com a Angélica, espero que ela fale bem de mim!!!!

Beijos

Shisuii disse...

A parte do sãopaulino foi MARA! ashaushaushauhsa


Genial o post, embora um tanto quanto impraticado pelas ruas...

Shisuii